Em abril de 2009, o mundo teve uma grande surpresa com um novo vírus que afetou várias pessoas.Guerras, sequestros, desastres aéreos, entre outros, nada é tão perigoso como certos vírus que a olho nu são invisíveis e inofensivos, mas que muitas vezes tem origem de mutações.

Em 08 de abril deste ano, foi detectado, o primeiro caso da gripe suína, no México. Uma mulher de 39 anos, moradora de Oaxaca, a 400 km da capital mexicana. Os sintomas eram diarréia e problemas respiratórios, ela foi internada, mas os tratamentos convencionais não surtiram efeito, após cinco dias ela veio a falecer.

Apareceram outras pessoas com os mesmos sintomas, sendo assim os médicos enviaram uma amostra de secreção para análise ao Centro de Vigilância Epidemiológica nos EUA e constatou o vírus tipo A, subtipo H1N1, semelhante ao da gripe Espanhola que causou uma pandemia no ano de 1918.

O vírus se espalha de forma muito rápida, é transmitido de pessoa para pessoa e tem sintomas semelhantes ao de uma gripe comum.

A gripe suína, como é chamada, já fez muitas vítimas em vários países, entretanto os mais afetados foram os Estados Unidos, México e Brasil.

O nome gripe suína refere-se à gripe causada pelas estirpes de vírus da gripe, chamadas vírus da gripe suína, que habitualmente infectam porcos, onde são endêmicas

Segundo o Ministério da Saúde, o balanço do número de mortes no Brasil somava 557 até dia 22 de agosto. Este número leva o país à liderança de casos fatais pela gripe em todo o mundo.

Ministério da Saúde

De acordo com as secretarias estaduais de saúde, o total de vítimas fatais em decorrência da gripe suína totaliza 576 mortes. Essa diferença nos números ocorre porque os critérios utilizados pelos órgãos não são os mesmos.

0924463

Desde que as mortes pela gripe A foram identificadas, alguns grupos de risco foram observados. São: gestantes, idosos com mais de 65 anos, crianças menores de dois anos, doentes crônicos, pessoas com problemas cardiovasculares, metabólicos, hepáticos e renais.

Várias medidas de prevenção foram adotadas:

– Ao tossir ou espirrar cobrir boca e nariz com lenço, de preferência descartável.

– Evitar locais com aglomeração de pessoas.

– Evitar contato direto com pessoas infectadas.

– Evitar tocar olhos, boca e nariz.

-Não compartilhar objetos de uso pessoal.

– Lavar mãos freqüentemente com água e sabão, especialmente depois de tossir e espirrar.

Contudo, as pessoas infectadas estão sendo tratadas com o medicamentos Tamiflu.Se apresentam os sintomas da gripe A,devem procurar um médico e serem observadas.O Tamiflu é indicado para o tratamento e para profilaxia de gripe em adultos e crianças a partir dos 8 anos de idade,ou com 40 kg ou mais de peso corporal.

Ainda não existe uma vacina para humanos da gripe A, existe somente para porcos. A vacina convencional para gripe oferece pouca ou nenhuma proteção para o vírus H1N1. O Japão tem anunciado que pretende desenvolver uma vacina eficaz e o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês) vem investigando formas de tratamento.

Já no Brasil,o Instituto Butantan está colaborando com a OMS (Organização Mundial de Saúde) em uma pesquisa para desenvolver a vacina e prevê finalizar esse processo dentro de seis meses.

Por Bruna Robiati

Anúncios