Tags

, , , , , ,

Em maio, mais precisamente dia 02, o curso de Comunicação Social/Jornalismo da FEF (Fundação Educacional de Fernandópolis) foi até São Paulo para assistir a gravação do Programa do Jô.

Foi a primeira vez que estive em uma gravação de programa. Já estive antes em uma emissora de TV,  mas nada tão “grandiosa” como a Globo, e olha que estamos falando de SP…não Rio.

No geral a ida até São Paulo foi tranquila, 600 km de Jales até a capital. A claustrofóbica aqui tomou aquele tarja preta e dormiu a viagem inteira. Santo remédio!

Ao chegar na Globo tivemos que esperar junto com outras turmas de estudantes, em uma espécie de sala de espera. Serviram bolachinhas e barra de cereal para nós. Então alguém da produção ia chamando turma por turma para entrar no estúdio.

Primeiro gravaram o “show” do Falamansa, confesso que gostei, há tempos não via eles. Depois a prodrução chama novamente turma por turma para sentar no auditório. E lá fomos nós da FEF…nos últimos lugares…

Depois de algum tempo desmontando o palco, arrumando o estúdio e quase tudo pronto…eis que aparece Jô Soares. Sinceramente? Sempre esperamos mais…rsrs. Achei o Jô um tanto…seco, talvez.

Enfim, a gravação do primeiro programa contou com a presença da atriz Milena Toscano, o grupo Falamansa e o ator  Renato Scarpin, que em minha opinião foi a melhor entrevista.

Na segunda gravação não me recordo totalmente quem eram os entrevistados, mas havia um especialista em sociedades secretas, uma balairina e Junior Cigano (lutador de MMA). Na terceira gravação estava a jornalista Mariana Ferrão, o cantor Maurício Manieri e mais uma outra que não lembro nada. hehe

Três programas gravados em uma tarde, eu já não aguentava mais. O estúdio parecia um freezer de tão gelado por causa do ar condicionado, a vontade de fazer xixi era imensa, o frio congelava tudo…até o xixi. hehe

Enfim quando terminou a gravação senti uma alegria enorme, finalmente poderia ir no banheiro. Em vão. Todos foram ao mesmo tempo e havia fila. Desisti. O ônibus já estava de saída, passei pela porta de saída e ganhei um lanchinho. Bom, estava com fome mesmo.

A volta para casa foi mais pertubada para mim. Não tomei o medicamento e tive uma pequena crise (claustrofobia)  dentro do ônibus. O pior de tudo isso são as pessoas que não compreendem a gravidade do problema. Mas nesse caso tenho que agradecer muito à Andresa e Eliandra, minhas amigas quer realmente entendem e me ajudam com isso.

Quanto ao xixi, pude aliviar somente em São Carlos quando paramos em um posto…236 km segurando, rsrs. Enfim tudo correu bem, experiência boa, e mudança nos meus planos para o futuro. Espero que tudo dê certo!

Abaixo você pode conferir o vídeo de abertura do primeiro programa que for no ar no mesmo dia. Ah, eu apareço por 1 segundo. hehe

Anúncios